fgts para comprar imóvel

Entenda como usar o FGTS para comprar um imóvel

A aquisição da casa ou apartamento próprio é um sonho de muitos brasileiros. De fato, essa é uma conquista enorme, na qual pode mudar completamente a qualidade de vida das pessoas.

Tranquilidade e segurança financeira são um dos aspectos mais importantes dessa compra, porque adquirir um imóvel próprio é como ter um porto seguro. Infelizmente, nem todos têm condições de pagar uma casa à vista, por exemplo, por ser algo bastante custoso.

Então para conseguir conquistar esse sonho é preciso planejamento, estudos e, muitas vezes, uma tomada de crédito. Todo o esforço é recompensado ao ter um lar para chamar de seu.

Neste contexto, muitos optam pelo financiamento de imóvel, uma tomada de crédito que permite a aquisição do imóvel de forma imediata e proporciona parcelas mensais para pagar ao longo do contrato.

É verdade que para conseguir um bom financiamento, é preciso dar uma quantia de entrada. Neste ponto, entra o FGTS, um recurso que pode ser usado como entrada na aquisição de imóveis.

Você sabia disso? Essa opção torna o sonho da casa própria mais perto de se tornar realidade para muitas famílias. Muitos ainda não sabem como usar o valor do FGTS para essa finalidade, se é o seu caso, este conteúdo com certeza te ajudará.

Veja a seguir como usar o financiamento para conseguir conquistar um imóvel e mais do que isso, como o FGTS pode acelerar este processo. Acompanhe!

Como funciona um financiamento?

É uma modalidade bastante conhecida entre os brasileiros, sendo a mais procurada no mercado para a aquisição de diversos bens, como automóveis, casas e apartamentos, por exemplo.

Apesar de popular, muitas pessoas ainda não sabem como realmente é o processo do financiamento e é isso que explicaremos a seguir. A aquisição de um imóvel é algo sério e custoso, então é importante estar ciente de cada detalhe antes de decidir se optará ou não por esta modalidade de compra.

No financiamento, a instituição financeira ou banco escolhido faz a aquisição do bem e depois você paga à ele as prestações previamente combinadas. Essas instituições oferecem as condições de pagamento e parcelamento, com os valores das mensalidades e quantidade de prestações.

Então, a instituição ou banco faz a compra e depois, ao longo do contrato, você paga de forma parcelada.  Geralmente, a maioria dessas empresas exigem que o comprador dê uma entrada de pelo menos 20% do valor total do bem para ter maior segurança neste processo.

Até é possível encontrar locais que financiam o valor completo do bem, mas são raras as instituições sérias que fazem isso e muitas vezes, as condições de pagamento não valem a pena.

Existem duas formas de financiar um bem:  seguindo a tabela Price, na qual as prestações têm valores iguais do início ao fim e de acordo com a tabela Sac, com  parcelas decrescentes, sendo as primeiras mais caras e as últimas parcelas mais baratas.

Vale ressaltar que essas prestações já são concedidas com o valor do juros. Então, em resumo, o financiamento consiste  em uma quantia de entrada e o restante do valor é pago mensalmente.

FGTS como entrada de pagamento

Dar 20% de entrada nem sempre é uma tarefa fácil, já que é um valor considerável. É aí que entra o FGTS que pode ser usado para solucionar essa questão.

Mas afinal, o que é este recurso? O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, como é chamado, serve como uma proteção financeira para pessoas físicas.

Todos os meses, um valor correspondente a 8% dos vencimentos em folha, é depositado pelos empregadores em contas específicas na Caixa Econômica Federal dos funcionários.

O montante serve como garantia financeira caso o trabalhador seja demitido, mas também possibilita, por lei, a compra de imóveis, construções em terrenos próprios, tratamento de doenças graves, entre outras situações.

Então, é possível retirar da conta esse recurso para dar de entrada na compra de um imóvel, dependendo do valor que já tiver acumulado.

Passo a passo para conseguir um bom financiamento

Ficou claro a questão do FGTS e financiamento? Entendendo como esses dois recursos funcionam, é a hora de compreender como colocá-los em prática. Para conseguir o FGTS para a compra de imóvel é preciso seguir algumas regras.

Para conseguir essa quantia, o trabalhador deve ter pelo menos 3 anos de carteira assinada, não ter financiamento imobiliário ativo no Sistema Financeiro de Habitação (SFH) e não ter um imóvel residencial no município onde pretende comprar a nova propriedade.

Também é preciso trabalhar ou morar no município onde o imóvel que quer adquirir com o auxílio FGTS está localizado. A casa ou apartamento deve estar avaliado em até 950 mil reais no estado de São Paulo, deve estar em nome do titular da conta do Fundo de Garantia, a situação do imóvel deve estar regularizada com os órgãos competentes e o imóvel deve ser de moradia ao titular do FGTS.

Sabendo dessas condições, é preciso pedir pelo resgate desse valor na Caixa Federal. Para o financiamento, o primeiro passo é procurar uma instituição financeira e especificar o bem que deseja comprar, sendo o imóvel neste caso.

Depois disso, o banco ou empresa avaliará o pedido para entender  o valor financiado, condições de pagamento que a pessoa pode pagar de acordo com sua renda mensal e outras informações a fim de calcular as prestações.

Após a aprovação e com o valor do FGTS em mãos, é possível dar a entrada e realizar a compra do bem.